domingo, 12 de abril de 2009

Como partir quando se quer ficar...




- Fica!
- Não. hoje tens que me deixar ir...
- Eu pensei que... fica...
- Já é tarde... e tenho frio, está tanto frio aqui, se ao menos me abraçasses...
- Não consigo! Eu quero e não consigo.
- Tenho que ir, tinhas que me fazer querer ficar. Agora vou e desta vez não quero deixar nenhuma parte de mim. ADEUS.


Estou farta do vento e da chuva, porque não os páras?
Farta do gelo que emana da tua voz e me paralisa
Farta de silêncios que magoam, de palavras que nada me dizem.
Estou farta e cansada de esperar o momento certo.
E ainda estou aqui... tenho tantos sítios onde ir e feita parva estou aqui.
Bastava um sinal, agora não, tenho que ir.
Vejo e revejo tudo o que está para trás... valeria tanto a pena se ao menos tu...
Devia custar menos a cada vez que me empurras de ti por achares que não me fazes feliz não era?
Então porque é que sinto lâminas a revolverem-me a pele,
Mãos a prenderem-me e pisarem-me o corpo todo
E lágrimas que, como ácido, queimam a minha cara?
Quero ganhar coragem para mandar foder este amor,
Quero esquartejá-lo enquanto grito palavras de raiva,
Quero matá-lo de pancada e comer-lhe as vísceras.
Quero que morra de uma vez, o cabrão.
Já chega de o esconder num cantinho e tentar estupidamente fingir que não está ali,
De o ir alimentar à noitinha quando ninguém está a ver,
De o acariciar, ainda que quando lhe viro as costas se ri de mim cobardemente.
Que me leve o teu olhar, os teus sorrisos, as memórias que tenho de ti.
Que me leve até o teu cheiro a nada que continua impregnado em mim.
Eu não quero, eu não quero, eu não quero,
tic-tac, tic-tac, tic-tac...
Vou fazer explodir esta bomba que tenho na minha cabeça...
Não quero que fique aqui nada para contar esta história.
Quero o The end, sem happy ending claro que nada disso me é reservado a mim.
tic-tac, tic-tac, tic-tac...
BUMMMMMMM.... Quando menos esperares já eu não estou aqui!



9 comentários:

  1. MAs tu não sabias trancar a porta? e fechar as janelas?
    Tas a falhar pah.
    bjus

    ResponderEliminar
  2. Mana, já não se passa nada... e ainda bem! :p

    ResponderEliminar
  3. Dudu, eu sou uma gaja um bocado destrambelhada, deixo sempre tudo aberto não vá ter que sair à pressa! :p

    Tás bom ó cabeça de alicate? Vamos escrever qualquer coisa um dia destes... ou daqueles!

    ResponderEliminar
  4. adorei o texto... a serio!!!

    consigo imaginar a minha situação através das tuas palavras... e sem duvida que tudo o k escreveste para mim faz todo o sentido!!

    beijos gaja!! =))

    ResponderEliminar
  5. Escrever ajuda àquela parte que te falei, no outro lado, do cagar e andar... custa mas tem que ser.

    Aprende uma coisa Inês, quando tu dás tudo e a outra parte pouco ou nada, quando vais embora, a grande perda é da outra parte e não tua! :)

    ResponderEliminar
  6. Praguejar. E enfiar as mãos pelas entranhas a dentro a ver se o arrancam cá de dentro. Vomitá-lo. Mas ele vai saindo..ás vezes nem nós damos por isso.... e um dia...BAM...saiu:)

    ResponderEliminar

Pensa, reflecte, cria, opina... sê livre!